Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

domingo, 1 de dezembro de 2013

Crazy love

Crazy love

Suas mãos me prendem,
tento fuga, encontro entrega
me calo, falo
arremeto - me - submeto
suor e liga pelos crispados
seus dedos invadem-me.

A flor da pele
pele em flor
entrego-me nua, toda sua
fuga desgarro, mas volto
voce dedos, eu mãos
derrapam em puro cio.

Minto um não
me dispo num sim
retorno me entrego
sem virgulas, sem folego
lascivo-fogo entranhas,
Entorpecidos do - nosso - tesão.

Amor em chamas!
GMasago
(01-12-2013

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Da poetisa à poesia

Da poetisa à poesia

Porque metade de mim é rap
a outra poesia.

Porque metade de mim é fêmea
a outra sereia.

Porque metade de mim é amizade
a outra amor!

Porque metade de mim é mar
a outra a-mar!
GMasago
(26-11-2013

Fases da poesia

Fases da poesia

Adormeça poesia
e acorda em alegria.

Durma bem
o ressonar dos inocentes,
e volta pro sonhos de tanta gente.
GMasago
(23-11-2013

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Poesia do genuíno

Poesia do genuíno

Não era uma pessoa qualquer
tinha essência, medos e silêncios.

Não era pra se questionar,
tinha a verdade estampada no olhar.

Não era apenas palma
porque, era alma.

Não haveria a poesia
se não houvesse a rima!

Não haveria um sim
sem antes, haver um não!
GMasago
(26-11-2013

domingo, 24 de novembro de 2013

A escolha II

A escolha II

Troco todo o sucesso do mundo,
só pra ter um brilho d'uma estrela fronte,
meus olhos!
GMasago
(25-11-2013

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

A escolha

Guerreira nata - desde o primeiro instante de vida. (Sobrevida!)
A escolha

Então foi quando tudo começou. No meio dessa minha doce - triste vida, certa vez porém me aparece mais uma daquelas missões quase que impossíveis.

Eu dona de mim, dona de grandes ditos e feitos. Não pus em tese, nem tão pouco me questionei. Simplesmente sorri e disse-me; Gea, voce é guerreira, voce consegue!

Já que por tantas e tantas vezes a vida não tinha me sorrido, essa seria apenas uma tarefa a mais, como outras tantas das quais ja tinha ultrapassado. Enfim... Fui à luta, armada entre unhas e dentes, até o pescoço, corpo e alma. Como sempre, com tanta intensidade assim como bem, sou!

Porém, veio então a grande surpresa.
Não sabia, pra que se ganhar essa guerra, não dependia tão somente de mim. Não estava dentro dela estando só. Havia mais pessoas ao meu derredor.

Vi lágrimas - sufocadas - querendo sair e, ali estacionadas.
Avistei desesperos de gente que não estava sendo compreendida.
Observei o medo sendo usado como fonte de escudo.
Decodifiquei o ódio no olhar do opressor.
Percebi o silencio cantar em almas desesperadas.
Cartas sendo rasgadas, telefonemas adiados, a dor esparramada em cada semblante.

Não havia muita escolha, era chegada a hora, ou eu caminhava avante ou, eu desistia no meio do caminho.

Mas sabia que teria que ser "Mulher-Maravilha", pra suportar tanta dor, pra não deixar-me contaminar com tanta falta de amor, pra não me corromper e, num desesperado grito dizer... "CHEGA, CHEGA!" 

Adentrei como guerreira, tornei-me aprendiz dos sentimentos!

O que ganhei ou perdi com essa história louca?
Ainda não sei, há muito o que se fazer, não cheguei nem na metade deste caminho!

Sendo que por vezes tenho vontade apenas de voltar ser aquela criança - inocente. Olhar nos olhos e dizer: Sinto tanto medo, tanto quanto voce. Não me deixa, só!

Mas é como disse logo de inicio, sou guerreira. Assim sendo, não desisto!
GMasago
(03-11-2013

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Sina do poeta

Sina do poeta

Todo - bom - poeta...

Não anda, desliza.
Não beija, mas ama.
Não toca, sente.
Não faz, mas acontece.

Não morre, mas para além da eternidade, permanece!
GMasago
(19-11-2013