Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

domingo, 15 de janeiro de 2012

Não sou poeta & Ser poeta (Dueto)

Se,
eu fosse poeta
saberia escrever METÁFORAS.
Não sei, não sou...
Minha alma transborda,
veios de verdade.
Meu inferno meu céu...
Sou o que penso,
sou o que escrevo,
sou o que leio.
Com metáforas ou não.
Geane Masago


Ser poeta é espremer a laranja até sair flores
Atirar palavras contra o vento até que elas voem com/o pássaros
Passados, pasmados passos dos pássaros
Ser poeta é fingir-se triste para entristecer os alegres
E fingir-se alegre para secar as lágrimas desalentadas
O amor é cântico dos signos na dança das letras
E a guerra cessa-se para a passagem das alegorias rimadas
Ritmadas, camufladas, carimbadas pela alma do poeta
Que faz o mundo virar do avesso só para sentir o calor do seu magma
A poesia revoluciona, e o poeta é o soldado se armas
Sem armas?
Armas sim! Ama, amarra, amálgama,
as armas mais poderosas são as palavra
poetizadas pela nave sem rumo do poeta.
Mauro Brandão

Nenhum comentário:

Postar um comentário