Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Destilada (Izabel Lisboa)


divino instinto humano
mata[dor] do tempo
devora[dor] das horas
rebuliço de bicho no cio
unhas carne suor
sangue a ferver
eros absinto
espalha[dor] de desejos indizíveis
excitante rabo de foguete...
recôncavos e meandros
de um azul tão errante
...
onde a mesquinhez do tempo?!
onde o medo da morte?!
o universo é mais vasto por aqui...
acredite...


Izabel Lisboa

Um comentário:

  1. Eu, sou fã de carteirinha desta poetisa.. Seus poetares, sempre diretos e francos.
    Obrigada cara Izabel Lisboa!

    ResponderExcluir