Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Gênese



Nos pergaminhos poéticos
Desbravei estradas
Entreguei minh’alma
Desvendei os incógnitos
Pus meu chapéu tirei o véu.
Expurguei as brumas.
Adentrei as metáforas. 

Virei sereia n’areia
procurei um pirata
encontrei um rei
chamaram-me de Maria
mas, meu nome é G
A sétima letra a sétima nota
No sétimo dia nasceu G.

Li e reli o caminho de Dante,
De baixo pra cima de cima pra baixo.
Descobri onde ficava o inferno
Meus pesadelos terminais.
Deixei a fêmea virei a fera.
Pincel tinta óleo, meta & rima.
A borboleta e a serpe.

Então me veio Gênese
Adão e Eva
o par perfeito
sangue comunhão 
desejo alma e carne.
Onde estaria o pecado?
Num simples ponto final.

Vivi em poesia
Sonhei em poesia
Cantei em poesia
Amei em poesia
E, se alguém não gostar!
Que pelo menos, tente.
Afinal, Gênese é uma história!

Não é?!
Geane Masago

Nenhum comentário:

Postar um comentário