Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

No velcro da pa-lavra


Vou rasgar meus versos
no frio da madrugada.

Sim, vou povoar
sua mente, seu sangue.

Vou dedilhar o tempo
no fio e na navalha.

Sim, vou destilar toda cor neon,
bom-bom pecado, tempo vazio.

Vou adentrar no seu ósculo
francês, fregues.

Sim, a meia noite,
a meia lua a meio fio.

Vou correr contra o vento,
desvendar todos malditos mistérios.

Sim, vou escrever sem nenhuma benção
ou sem seu amém, esse carnal com-puta-dor!

Vou-me, pra lugar nenhum,
n'uma transfusão de sangue vivo-morto.

Amor-dor.
Palavra que não lavra!
Geane Masago
(08-02-2013)
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário