Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

terça-feira, 30 de abril de 2013

A primavera

A primavera

Voce, longe ou perto, 
serão-será para sempre,
flores do meu humilde jardim!
Geane Masago
(30-04-2013)

Nota: Especialmente à ti!

A semeadura

A semeadura

Mas quando todas as flores
da triste-doce vida secarem
semearei esperanças.

Mas quando o céu parar chorar
chorarei por ele, neste solo de terra
rachado-batido e cansado.

Tombarei a terra por terra
pra ver o inovo ressurgir
E o jardim-da-vida, florir!
Geane Masago
(30-04-2013)

domingo, 28 de abril de 2013

Eu em mim

Eu em mim

É pode ser estranho, mas não é!
As vezes quero ouvir o canto do mar
o silencio da noite
a quietude da lua
a melodia não dita
o som da aurora
o sussurro que nunca vem
o toque da solidão
o grito do mudo
o nada.

As vezes, não sempre
quero bailar só absolutamente só
no chão destra estrada vazia
sem sons, sem letras
nem frases ou paráfrases.
Quero divagar pelo infindo
de mim, sem saber onde
começo ou termino.
Quero apenas a doce ilusão
de que tudo é muito fácil.
Mesmo sabendo que não é!
Geane Masago
(28-04-2013)

Quem?

Afinal quem é voce, sem seus sonhos e sua fé?
Geane Masago
(24-04-2013)

Os passos

Os passos que rumam em sentido do amor, não sente o ressentido da vida. Geane Masago (25-04-2013)

Simples assim


Eu quero água pra beber
ar pra viver e sua boca pra morder!
Entendeu?
Geane Masago
(25-04-2013)
 

Breve

Breve

A vida é tão breve pra nos apegarmos 
a coisas tão desnecessárias.
Geane Masago (25-04-2013)

O amor II

O amor II

O amor tem suas próprias regras
mente quem diz ele ser fácil,
se, fácil o diz ser não é amor...

O amor apura, esmaga, peneira
até que o mais dos genuíno
sentimentos floresça.

O amor tem sua própria linguagem
e tudo é uma questão de escolha
só quem pode amar, acata.

O amor não é para os fracos
só os grandes saberão-poderão
dizer eu vivi o amor!
Geane Masago
(27-04-2013)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Um único pedido


Um único pedido

Oh lua, pigmenta minha pele
neste seu tom prata
pra q'eu possa acordar em ouro.

Enquanto houver
uma Lua e um Sol no céu a reinar
e mais uma noite e meia de espera,
vou rimando no pálido do papel,
pra que num dia a poesia posso vingar
em prata em ouro!
Geane Masago
(26-04-2013)

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Conciso


Conciso

Quanto mais ouço seu silencio
mais me esparramo sobre voce.
Lei da atração e do tesão!
Geane Masago
(24-04-2013)

Orbita

Se me perguntarem, Geane qual sua orbita? Sorrindo respondo...
Totalmente, fora dela!
Geane Masago
(24-04-2013)

O amor

O amor 

Ele chega de mansinho
nem pede licença.

Ele te chama pelo lado de fora
voce simplesmente abre a porta.

E sorrindo logo diz...
Pode entrar a casa é sua!

Sem muito pensar
sem nada questionar.

Apenas, abre a porta!
Geane Masago
(24-042013)

terça-feira, 23 de abril de 2013

Poeta e Poetisa

Poeta!

Poeta em instantes nasce e morre.
Lógica e lógica ilógica já que vai, mas logo retorna.
Poeta é denso, manso e catastrófico,
já que perde o mundo que contempla e se ergue.
Já que ganha o que não pede, aquilo que se quer.
Poeta em seus silêncios implora.
Sente muito, sente tudo de uma outra forma.
Pouca coisa lhe amorna, é frio gelo, quente inferno.
Ama loucamente, acima de tudo que lhe conforme.
Aliás, só o amor lhe conforta. Nada mais lhe importa.
Se preto e branco ou colorido, se erra ou se acerta.
Ah...poeta! Sempre um quieto...inquieto! Ou vice-versa.

[Paulo Henrique Frias]


*

Poetisa

Poetisa quando calma,
canta alto, canta em canto lirico.

Quando ama-sonha 
se entrega e esparrama.

Quando sente o dessentido da vida
é pétala de rosa esmagada entre dedos torpes

Quando sofre-emudece
em seu mundo-ostra vira perola.

Quando cansa não repete,
não se dá e o silencio professa.

Quando chora estrelas morrem
em pleno azul-céu.

Mas quando ama, 
ama alma,
intenso e vida!

Feliz quem toca a alma
do poeta e poetisa!
Geane Masago
(24-04-2013)

Um dueto entre O poeta Paulo Henrique Frias e Geane Masago

domingo, 21 de abril de 2013

Mar adentro

Mar adentro

Preencha de ti meus espaços vazios
me cubra com sua carne vadia.

Me deixa de rasto
erga-me o seu mastro.

Sopra a vela
e adentre o mar aberto.

Seja remo e remador
deste intimo meu!
Geane Masago
(21-04-2013)

Esperança

As vezes nos apegamos a fiozinhos de esperanças 
pra que a vida se torne um pouco mais bela!
Geane Masago
(20-04-2013)

Liberdade

Liberdade 

Promiscua,
quem disse que a ti pertenço?
Ah, antes fosse.


Sou prisioneira do sem retorno
onde tu me roubaste e esquecestes. 

Não sei por onde tu andas?
Mas sei que ando perdida!

Bandida, liberdade!
Geane Masago. (21-04-2013)

Coração Pscodélico

Não importo
sobre qual estado esteja
não sei se me jogo sobre mesa
se dou volto sobre o mundo
se me contorno ou retorno
se vou ou venho
se voo ou flutuo
se orbito ou me entrego de vez
se estou do lado de lá ou de cá
se este estado é o de graça ou não
se é meu inferno ou o meu céu
se é meu transe fatal
mortal ou visceral.

Voce é minha droga e meu vicio
minha fome e minha sede
meu celibato e meu tesão
minha lagrima e meu riso
minha loucura e minha sensatez.

Só d'uma coisa eu sei
que mais não mais, 
sei ser sem voce.

Porque, eu...
ah, te amo voce!
Geane Masago
(20-04-2013)


Absolvida

Não é preciso eu omitir
esse desejo louco
que trago que trago por ti
que me entorpece e me assanha.

Não me julgo.
Se sua boca me põe louca,
se sua língua me desliza inteira.

Se suas mãos leves e rudes
me roçam e crispam os pelos,
percorrem soltas sobre minha carne,
tocando-me toda neste meu corpo seu!

Não me condeno
se voce é o tudo
o que quero em mim.
Geane Masago
(19-04-2013)

A caçada


O homem que me olha
com os olhos de caça,
logo digo: sou predadora!
Geane Masago
(18-04-2013)

Nada tão muito



Queria ver o foguetão
dar meia volta, volver.
Quem sabe um dia qualquer
o anjo cair por terra?
Quem sabe um dia,
nasçam flores no deserto!
Geane Masago
(21-04-2013)


Tentativa



Todo artista sempre tenta alguma coisa.. Isso é fato!
Geane Masago
(21-04-2013)

quinta-feira, 18 de abril de 2013

A fome

Minha voz nunca cala,
meus desejos não são pardos.
Minha palavra flor aberta.

Profano sua carne neste intento louco,
donde jorram as palavras
que me queimam, que me ardem.

Minha carne de fêmea a tua professa.
Minh'alma migra, grita e canta de prazer.
Minha fome e sede de ti me despem.


Enquanto lá...
Vou dedilhando meus insanos instintos.
fecho os olhos, faço voce em mim!

Geane Masago
(18-04-2013)

O miseravel


O miserável

Uma coisa é ser pobre...
Pobre de grana
de conhecimentos
de qualquer coisa,
seja lá do que for!

Porém, pobre de alma!
Ah, isso já é uma outra história,
bem diferente!

Pense nisso!
Geane Masago
(18-04-2013)

Só para mulheres

_______Só para mulheres

Quem nunca sentiu
deve desejar.

Quem nunca se permitiu
não sabe o que perdeu.

Fala a verdade,
vai...

Um tapinha na bunda
de vez em quando 
é bom e não faz mal a ninguém!

Não é?!
Geane Masago
(17-04-2013)

O dom

Eu não tenho o dom da palavra, a palavra que me tem o dom!
Geane Masago
(17-04-2013)

A tristesa

Quando vejo a tristeza me beijar viro mar e renasço, poesia!
Geane Masago
(18-04-2013)

O porque


Quando dei por conta que a vida era dura demais; resolvi ser poeta!
Geane Masago
(17-04-2013)

A sereia

A sereia

É ela a deusa do mar
que vive entre os rochedos
sempre a encantar.

Diz a lenda, quem ouve seu 
canto por uma unica só vez,
dela se encanta.

Quem tentar esquece-la
ou enlouquece de vez
ou se joga de amor ao mar!
Geane Masago
(18-04-2013)

O lugar

O mundo do poeta é exatamente onde ele vive!
Geane Masago
(14-04-2013)

In private


In Private 

Segredo é o que
contigo faço depois da
meia-noite e meia.

Não queira nem saber
se abro ou fecho o laço.
O inconfesso é todo meu!
Geane Masago
(14-04-2013)

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Só para mulheres

_______Só para mulheres

Quem nunca sentiu
deve desejar.

Quem nunca se permitiu
não sabe o que perdeu.

Fala a verdade,
vai...

Um tapinha na bunda
de vez em quando 
é bom e não faz mal a ninguém!

Não é?!
Geane Masago
(17-04-2013)

terça-feira, 16 de abril de 2013

O porque


Quando dei por conta que a vida era dura demais; resolvi ser poeta!
Geane Masago
(17-04-2013)

sábado, 13 de abril de 2013

Perpetuo

Ja perdi tempo demais.
Agora que me encontrei em ti,
já não me vou, mais!
*
É nessa intensidade
silenciosa-tamanha,
que eu te invento
te crio, em cio
em leito ou em palavras.
*
É nessa loucura
profana ou santa
que continuo o amor!
Geane Masago
(14-03-1013)


O gosto da sua boca


O gosto da sua boca

É nessa sua boca que entrego
todos meus desejos loucos.

Que pratico todos os tipos de beijo
do osculo a francês ao beijo santo.

Que acordo e durmo de um dia
morde-la, molha-la sedente de amor.

Essa sua boca delineada e linda
 toda feita pra minha beijar!

Boca tentadora, gostosa,
pecado meu!
Geane Masago
(13-04-2013)

Amor de alma

Amor de alma

É simplesmente assim, acontece.
Mas quando vem, dificilmente se vai.
Aprendemos amar não a carne,
mas sim o coração.
Penetra, toca numa linguagem
que só as duas almas compreendem.
Não há necessidade de muito,
apenas um indizível - bem-querer.
O mais genuíno de todos os amores!
Geane Masago
(13-04-2013)


quinta-feira, 11 de abril de 2013

Andanças


Andanças

Estas minhas andanças 
louca pela vida, me faz ir.

Vou-me sem pressa,
sem medo de errar.

Porque sei , que voce existe
em mim - em nós!

Amor, meu!
Geane Masago
(11-04-2012)

Mar e palavras


Poesia ao poema

Tendo o tempo como o único aliado.
Navego a deriva em alto mar,
sem pressa, sem medo.

Na unica esperança de um dia,
voce, eu poder amar!
Geane Masago
22-03-2013

O canto lirico do desejo

O canto lirico do desejo

A cama é grande
bem cabe nós dois.
Preparei o cântaro com água do mar,
sais de banho - essência Sândalo - 
Então, lembrei-me Madalena e Jesus.
Traga meu rei, seus pés a cá,
coloque-os nesta bacia.
... Neles, dedilharei meus dedos
com o toque da sedução.
Cala-se, não diga nada,
deixa que eu falo por ti.
Ouça os som das harpas e liras,
deite-se, esparrame-se sobre meus lençóis.
Te quero silenciado, suado,
falo teso, todo inteiro só pra mim.
Subir, descer sobre teu mistério
encharcar-me em tuas densas águas
como ondas em alto mar.
E assim, matar minha sede de ti.
Levito - viro pro lado,
adormeço - acordo em poesia!
Geane Masago.
(25-03-2013)

Corpo e alma

Meu corpo a mim pertence.
Minh'alma o mar furtou!
G. Masago 31-03-2013

Inteira


Inteira

Metade de mim sou eu a outra metade voce!
Geane Masago
(05-06-2013)

O desabafo

O Desabafo

Porque eu sem voce sou
olhos sem ver

Sou mar sem água,
brisa sem vento

Sou sangue sem cor,
sede sem água

Sou relva sem verde,
nuvem sem céu

Sou mundo sem vida,
corpo sem pele.

Porque sem voce
nem sei quem sou.
Perco o nome
o prumo
o rumo
o registro
o sonho
a vida e morro!

Ja não mais sei ser,
sem voce!
Poesia!
Geane Masago
(02-03-2013)

Breu

Gosto da inquietude mortal
da saliva amarga
do tijolos quebrados
do olho do gato
da voz incerta
do breu da noite
da lagrima esmagada
do grito gótico!

Posso ser preto ou branco,
tanto faz...
Nem todos os dias são pardos!
Geane Masago
(07-04-2013)