Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

terça-feira, 23 de abril de 2013

Poeta e Poetisa

Poeta!

Poeta em instantes nasce e morre.
Lógica e lógica ilógica já que vai, mas logo retorna.
Poeta é denso, manso e catastrófico,
já que perde o mundo que contempla e se ergue.
Já que ganha o que não pede, aquilo que se quer.
Poeta em seus silêncios implora.
Sente muito, sente tudo de uma outra forma.
Pouca coisa lhe amorna, é frio gelo, quente inferno.
Ama loucamente, acima de tudo que lhe conforme.
Aliás, só o amor lhe conforta. Nada mais lhe importa.
Se preto e branco ou colorido, se erra ou se acerta.
Ah...poeta! Sempre um quieto...inquieto! Ou vice-versa.

[Paulo Henrique Frias]


*

Poetisa

Poetisa quando calma,
canta alto, canta em canto lirico.

Quando ama-sonha 
se entrega e esparrama.

Quando sente o dessentido da vida
é pétala de rosa esmagada entre dedos torpes

Quando sofre-emudece
em seu mundo-ostra vira perola.

Quando cansa não repete,
não se dá e o silencio professa.

Quando chora estrelas morrem
em pleno azul-céu.

Mas quando ama, 
ama alma,
intenso e vida!

Feliz quem toca a alma
do poeta e poetisa!
Geane Masago
(24-04-2013)

Um dueto entre O poeta Paulo Henrique Frias e Geane Masago

Nenhum comentário:

Postar um comentário