Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

domingo, 30 de junho de 2013

Antes fosse uma poesia...

Antes fosse uma poesia...

Sim,
o medo que existe desde os primórdios do tempos. Que nos assola, nos persegue e segue todos os santos dias e noites...

Esta ali nos observando sempre presente, mais se parece como um monstro e por vezes até nos sussurra aos ouvidos: Voce não vai conseguir.. Não, vai! É repetitivo e ao mesmo tempo cansativo. E por mais que voce creia num mundo melhor, mas toda sua fé e crença lhe põe por terra. Enfim...

Mas afinal, quem é o medo?!
Porque, ele existe?

E passo horas, pensando nisso... Sem ele, como seriamos? Mas, com ele em demasia, como ficaríamos?

É de se pensar... Até que ponto se auto-limitar em não querer ser feliz, ou pelo menos tentar? Até que ponto se deixar levar, por medo? Medo de tentar ou, medo de fracassar? 

Maldito medo ou bendito medo?
Eis a questão...
Que ultrapassa ate mesmo - o ser ou não ser!

Se bem que, como todos sabemos que temer é uma forma de subterfúgio para que não soframos, além do que ja tenhamos sofrido no passado. Assim sendo... Acabamos de nos dar por vencidos, nos escondendo de nós mesmo e sobretudo da tal - mesmo que provisória - felicidade, que vale a pena ressaltar, não nos bate à porta todos os santos dias em nossas vidas. Não, é?

Eu não quero morrer sem tentar, juro que não...

Sou poeta isso não me priva de absolutamente nada. Porque antes de ser poeta, sou um simplesmente um ser humano, absolutamente normal, assim como voce amigo, que tenha acabado de me ler!

Então, diga-me voce, é ou não é a hora de nos livrar da nossa própria prisão?

Até mais ver, tripulantes...
Geane Masago
(01-07-2013) - O Rascunho & Desabafo. -

sábado, 29 de junho de 2013

Con-tempo-râneo

Con-tempo-râneo

Há algo que ultrapassa
até mesmo a lei do tempo,

Há algo que nunca-jamais
poderá ser violado,

Há algo que nem a própria
história explicará.

Pelo puro e simples fato
de se chamar a (verdade).

E são pelas incógnitas da vida
onde a encontramos.

Depois, de fato te-la
em coração-mente e razão.

Sem ela, não mais
conseguimos viver!

Pois, só o que é
verdadeiro
permanecerá!
Geane Masago
(30-06-2013)

sexta-feira, 28 de junho de 2013

A cura e a poesia

"A cura pra toda ferida tem um nome: Poesia"
Geane Masago

Sou poeta

Sou poeta
_______Poemeto

Difícil é aquele que consegue
acompanhar meu istmo-ritmo.

Pois, vivo pedida entre
os altos e baixos da vida.
Sou poeta!
Geane Masago
(28-06-2013)

terça-feira, 25 de junho de 2013

Eterno?

Eterno?
______Intimismo

Não há caminhos sem esquinas,
janelas sem dobradiças
mar sem ondas
céu sem Sol
noite sem Lua
lagrima sem sentimento
medo sem duvida
limite sem imposição
paragrafo sem ponto.

Vida sem poesia...

Sabendo-se que
o preto e o branco
estão delineados
sobre a mesma face.

Uni-verso sem fim...

Eterno?
Geane Masago
(25-06-2013)

O grito

O grito

Cala minh'alma com o gosto da tua boca.
Comandante das minhas insonias
e dos meus pesadelos-terminais.

Feitor do encarnado desejo
e da minha fobia, sem fim...
Sou fêmea, te eu te falei?!

Geane Masago
(20-06-2013)

sábado, 22 de junho de 2013

Água-de-beber

Água-de-beber

O amor desbrava mundos
descobre no raso o mais dos profundo.

Encerra o fim, finda o incio
extrai das entranhas toda impureza.

Até que o transparente-genuíno
apareça-conceda, (fonte de vida),

como o mais dos necessários de todos
os líquidos - água de beber...

Geane Masago
(22-06-2013)

Nota: Entenda, uma dia voce compreenderá!

O Gozo - Bate e Rebate

Dou - Bate e Rebate
O Gozo (Bate)

Da carne tenho apenas o espelho
do espelho quero a carne.

Que me sejas em
fogo-ardente ou terra-molhada,
contudo que me sejas puro cio.

Quero berrar meus 
surdos-gemidos num gozo
da tua-nossa tesa carne-rósea!
Geane Masago
(20-06-2013)

 
) rebate (

Quero berrar meus gemidos
No abraço de carnes-róseas!
E sentir-nos, loucos, perdidos
E ouvir-te, com cinco sentidos

No sexto – em cio ardente,
Do gozo; Em tua terra-molhada
Plantar de nós, uma semente
Que retrate, espelhada
O nosso gozo, para sempre
Paulo Serodio
(20-06-2013)

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O Gozo

O gozo

Da carne tenho apenas o espelho
do espelho quero a carne.

Que me sejas em
fogo-ardente ou terra-molhada,
contudo que me sejas puro cio.

Quero berrar meus
surdos-gemidos num gozo
da tua-nossa tesa carne-rósea!
Geane Masago
(20-06-2013)

terça-feira, 18 de junho de 2013

Sem perguntas


Sem perguntas

Espelho espelho meu 
quem és tu
quem sou eu?

Entre a lamina vítrea e seu fundo negro.
Em teu meio
me fiz de ti, prisioneira! 
Geane Masago
(18-06-2013)


domingo, 16 de junho de 2013

Coisa de carne

Coisa de carne

Cada pedaço de carne minha
espero seus por lábios molhados
a desfrutar esse desejo lascivo que me queima
por dentro e extravasa por fora.
Que chamo de tesão, vontade louca de voce.

Muitas vezes calo-me no cio das palavras
que me ardem por dentro e por vezes até ferem.
Respiro-inspiro reprimo ação e reação.
O ar comprime e o corpo levita
a alma grita e que o desejo exala.

Logo penso nessa tua boca rósea
a tomar meus espaços vazios
à me molhar por inteira, sentindo o meu sal,
completando meus orifícios e fendas
preenchendo as lacunas deste meu corpo teso, vadio.

O mais santo
de todos os meus pecados...
....voce!
Geane Masago
(16-06-2013)

sábado, 15 de junho de 2013

Uma zona - peculiar

Uma zona - peculiar

Eu não sou daqui
sou de lá
lá daquele lugar
bem distante do seu
onde teus olhos
não conseguem adentrar.

O meu mundo tem flores
tem amores e odores.
Entra nele quem realmente
tem vontade de sentir-ver.
Como a vida é possível (mesmo, que não seja)!
E que basta, apenas um querer...

Eu não sou daqui
sou de lá
daquele lugar.

Sou poeta!
E assim quero que seja
até eu morrer!

Não sei viver
noutro mundo!
Geane Masago
(15-06-2013)

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Ah... III

Ah... III

Ah, como eu te amei
te amei da forma
mais linda possível.

Te amei começo
meio sem nunca
sequer pensar num fim.

Te amei d'um jeito
doce e terno
mas com as labaredas
me recortando as entranhas.

Ah, mesmo que eu morra
amanhã ou depois
que eu vá e nunca nunca mais volte
quero que saiba...

...como te amei e continuarei
em te amar no gerúndio!
Porque a poesia é amor
e para todo o sempre será!

Geane Masago
(14-06-2013)

quarta-feira, 12 de junho de 2013

O segredo (dueto)

{O segredo}

_________Dueto Sandro Pinto e Geane Masago
alem-se as ondas do mar
 E seus náufragos
 Com rostos de algas

Somam-se
 Nessas areias
 Mãos eretas
 Com cinco dedos a riste
 Tão distantes do céu

Calem-se as barcas que encalham
 E fazem cadência com as ondas
 Desse mar infinito
 Sem margens
 Dos olhos

Contam-se
 Nessa praia
 Estrelas do mar
 Amputadas
 Trevos de azar
 E ouriços que pensam
 Ser flor

Calem-se todas as conchas
 Que se revolvem com ondas
 E se fincam entre areia branca
 E mascava
 E pensam conter
 O segredo da vida
 Por contar o murmúrio
 Do mar

O segredo da vida
 É saber-se
 Onda.

-

Se o segredo é saber ser onda...
...até mesmo quando ela bate-rebate
incansavelmente sobre os rochedos
lapidando-os severamente e vil
transformando pedras brutas nas mais belas laminas
enigmáticas – pontiagudas,
todas ali expostas a céu-aberto.

Enfim... Que assim seja então.
Pois esse gigantesco mar com todo seu esplendor
o fazedor da mais pura e bela obra de arte
redesenhando cada detalhes da vida.
Onde só os sensíveis serão capazes de saber ouvir
seu canto melancólico,
amiúde dorido, por vezes até mudo.

Mas onde houver uma nesga de onda
batendo sobre um rochedo qualquer
haverá um visgo entre a morte e a vida
não necessariamente Severina.
E sim, mar-e-sia; genuína (poesia).
porque, somente ela saberá (ser onda).
Geane Masago
(07-06-2013)

terça-feira, 11 de junho de 2013

O passeio

O passeio

Sim, ja é tarde
passou da hora.

Ja me vou
nem sei do tal retorno.

Mas sei que só, não irei,
levo comigo voce.

Num lugar todo quente-sagrado
mais que do que muito especial.

Bem aqui
dentro de mim.
Neste teu caminho
sem fim...

Geane Masago
(11-06-2013)

domingo, 9 de junho de 2013

A paz

A paz

Eu quero a paz do meu silencio
e se tiver de ser aquebrantada
então que realmente
me valha a pena!
Geane Masago
(09-06-2013)

sábado, 8 de junho de 2013

O choro con-tido

O choro con-tido

Hoje quero chorar sereno, ameno
fluidificar o puro e profundo em mim.

Chorar o choro dos ímpios
num grito de valei-me.

Esparrar-me em águas-doces
feito filha à espera do pai na soleira da porta.

Pra cada lágrima uma gota de saudade
daquele velho olhar ausente-presente.

Soluçar o mais profundo dos silêncios
tido-contigo de dentro pra fora ou vice e versa.

Debulhar lágrimas que nem sequer
ousam mais em descer.

Hoje eu quero chorar
e amanhã ir pra onde
o vento puder me levar!
Geane Masago
(09-06-2013)
















quinta-feira, 6 de junho de 2013

Ré, confessa

Ré, confessa

Eu me queimo
e me ardo.
Eu fujo
mas volto.

Nessa loucura puta-santa
de entrar viva e acabar
sempre morta em voce!

A condenada, prisão perpétua?

Geane Masago
(07-06-2013)

H2º

H2º 
___________A ilusão

As vezes me refugio na água de beber !H2º!
sinto que lá, ninguém me observa,
ninguém nem sequer se lembra q'eu existo.

Lá não existe vida,
nem tão pouco olhos fantasmas
observando cada movimento meu.

Isso me dá uma certa paz,
mesmo que apenas
!ilusória!
Geane Masago
(04-05-2013)

Gota a gota

Gota a gota

Aquele chão de terra
seca-pilada, batida.
Onde nada brotava
nem nada nascia.

Foram gotejados
todos os santos dias
em forma de palavras
poemas e poesias.

Gota a gota
o amor esparramou-se.
Então, o mar se fez de encanto
luz e magia, desejos e sonhos...

Geane Masago
(06-06-2013)

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Afrodith

Afrodith

O perigo não é o que há
entre as duas hastes.
E sim, que todas as rosas
trazem consigo
seus espinhos!
Geane Masago
(06-06-2013)

terça-feira, 4 de junho de 2013

Na primeira pessoa II

Na primeira pessoa II

O olhar sempre longínquo-distante
a alma perdida numa eterna busca
a palavra irmã do espaço-tempo 
o amor mar-e-sia. 
Poesia!
Geane Masago
(04-06-2013)

segunda-feira, 3 de junho de 2013

O inverno

E pelas mãos do tenebroso-inverno aqueles que sobreviverem, serão os verdadeiros guerreiros!
Geane Masago
(04-06-2013

domingo, 2 de junho de 2013

Como uma onda no mar - Lulu Santos (Musica)

Praia da Gaivota - São Sebastião

Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir
Pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar

http://youtu.be/LPEoHbI_8yI

Ondas do mar

Ondas do mar

Este oceano infindo
é a liga que nos liga.
Ondas que requebram
nestes rochedos a cá,
refletem acolá.

Onde a distancia é
é apenas uma ponte
de chegada ou partida.
Perdidas de nós
entre ida(s) e vinda(s).
Geane Masago
(02-06-2013)

sábado, 1 de junho de 2013

Lirico

Lirico

Arranque as estrelas do céu
é atire-as na infinitude
deste imenso deserto
que é a falta de voce!
Venha...
Geane Masago
(02-06-2013)