Geane Masago

Um espaço todo seu para puro deleite do leitor, aqui voce encontrará a poesia intimista. Seja bem vindo.

Wind love

terça-feira, 29 de outubro de 2013

A carta

A carta

Nada passa desatento o que minh'alma grita no silencio noturno do meu mais que profundo.

De tanto amor. Valei-me, óh, meu Deus...Valei-me!!!

Meu amado, por tantas e quantas vezes de ti tentei-me ir. Quando que por ventura, achava já longe estar. Mal eu sabia, que seus olhos novamente os meus estavam a encontrar.

Hoje, já em tempo tardio, confesso... Não há mais fuga à tão nobre, amor!

O mar hoje canta sereno, tento a lua companheira e noite desce seu véu de estrelas e eu a cá, sonhando voce. Tua boca, suas mãos atadas as minhas, nossos corpos, no gosto viril e suave do teu beijo.

Enquanto o que nos separa, são as paredes que cortam entre o casarão e a maldita senzala, nada mais do que além disso. Nada. Pois, nossas almas unas já estão.

Assim sendo, continuo minha lida, mesmo que contra todos e contra tudo, se acaso preciso, for...

Ah, tão sonhado Quilombo!

Então, repousarmos numa rede, nosso tão merecido descanso. Após tantas batalhas e medos.

E quando, isso tudo finalmente nos ser, seremos dois o que por hora é, apenas um.

Eu te amo, amor meu! Chico,
atenciosamente de sua amada Constância de Albuquerque!

*

NOTA; amigos apresento à todos, Constância de Albuquerque um dos personagens da estória que sera editada em livro - " Constância- De Volta à Ilhabela no séc. XVIII" sendo eu, co-autora juntamente ao escritor Natanael Olyver dando sequencia à peça teatral, que será lançada na cidade de São Sebastião para o mês de Janeiro, próximo.

E desde já, minha gratidão à todos voces...
Geane Masago
(30-10-2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário